Início » Notícias » Segurança » Autor confesso do homicídio ocorrido em Ibirapuitã se apresenta a Polícia Civil

Autor confesso do homicídio ocorrido em Ibirapuitã se apresenta a Polícia Civil

Jovem de 17 anos foi ouvido na manhã desta terça-feira (02) e disse que agiu em legítima defesa quando atingiu a vítima
Ilustração / ClicSoledade
Ilustração / ClicSoledade

O jovem de 17 anos, que era apontado como autor do homicídio de Darci Doehring Ritter, se apresentou a Polícia Civil na manhã desta terça-feira, 02/3. Em depoimento, confessou a autoria do crime, onde alega ter agido em legítima defesa, após seu sogro ter pego uma faca e entrado em luta corporal com ele.

Conforme informações da defesa, a delegada ouviu o adolescente acompanhado de sua mãe, já que é menor de idade, sendo posteriormente liberado. De acordo com relato do acusado, na noite do crime, a namorada estava perturbada com seu pai, que a estaria importunando por estar longe de casa.

 

O casal foi passear com o cachorro e ao passar na frente da casa da vítima, o jovem resolveu parar e conversar com o sogro, pedindo para deixá-la em paz. Eles começaram uma discussão e ao entrar na casa, o homem pegou uma faca e veio para cima do genro, entrando em luta corporal, momento em que o jovem conseguiu retirar a arma branca, desferindo os golpes contra Darci.

De acordo com a advogada Salete Canello, logo após o fato, o autor saiu correndo assustado, foragindo em local incerto e não sabido. Ao longo do final de semana, os familiares conseguiram contato com ele e em conversa com a defesa, foi tomado conhecimento do fato e combinado sua apresentação a polícia. Ela destaca que o adolescente não tem antecedentes criminais.

Salete pontua que vai ter acesso aos dois processos que correm em segredo de justiça, onde acusam a vítima de prática de abuso sexual contra a filha. Durante o depoimento a polícia, a menina de 14 anos disse que era abusada pelo seu pai desde os 7 anos e que este seriam os motivos de sua perturbação emocional.

Ela estaria namorando com o jovem há aproximadamente 5 meses e teria verbalizado a ele sobre estas situações.