Campanha de Vacinação contra a Polio e Multivacinação são prorrogadas até 21/11

Motivo é a baixa procura pela imunização, já que no Rio Grande do Sul o índice está em 54,1% crianças vacinadas
Foto: Camila Domingues/ Palácio Piratini
Foto: Camila Domingues/ Palácio Piratini

Em consequência da baixa cobertura da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite no Estado, a Secretaria da Saúde (SES) decidiu prorrogar o prazo da estratégia até 21 de novembro. Nesta data, também será realizado um segundo Dia D de mobilização, um sábado em que os postos de saúde, que imuniza crianças menores de cinco anos.

Também acontece a Multivacinação para atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes até 15 anos. Até o início da tarde desta quinta-feira (29), o Rio Grande do Sul havia registrado a aplicação de 286.403 doses da vacina contra a Poliomielite em crianças de até 5 anos, o que corresponde a 54,1% da faixa etária abrangida pela Campanha.

A marca está ainda longe da meta de imunizar 95% dessas crianças. “Além de prorrogarmos a campanha, vamos reforçar com os secretários de Saúde dos municípios a importância de ampliarmos a cobertura vacinal para a proteção de nossas crianças”, afirmou a secretária da Saúde do Estado, Arita Bergmann.

Apenas 98 municípios gaúchos (20% do total) atingiram a meta, o que é muito pouco, de acordo com a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri.

“É fundamental buscarmos coberturas vacinais homogêneas para todas as faixas etárias. Lembramos, mais uma vez, que circulam no Estado doenças que podem levar a graves sequelas ou mesmo levar a óbito e que podem facilmente ser prevenidas por meio da vacina, como o tétano, o sarampo e a febre amarela”, afirma.

Esquema vacinal
O esquema vacinal de poliomielite é composto, atualmente, por duas vacinas: a injetável aplicada em três doses aos dois, quatro e seis meses de vida da criança, e a vacina oral aplicada aos 15 meses e aos quatro anos. Nesta campanha, todas as crianças dessa faixa etária terão a avaliação de sua situação vacinal para poliomielite.

As maiores de um ano que estiverem com seus esquemas vacinais em dia receberão uma dose da vacina oral, a chamada dose D (indiscriminada). Para as crianças que estiverem com seus esquemas de vacinação de poliomielite em atraso, haverá a atualização.

A Campanha de Multivacinação, por sua vez, tem o intuito de atualizar a situação vacinal da população até 15 anos de idade, de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. O objetivo é, além de aumentar as coberturas vacinais, diminuir ou controlar a incidência de doenças imunopreveníveis.

Por ser uma estratégia de atualização de esquemas em atraso, não se trabalha com metas. A avaliação será realizada a partir das doses aplicadas e registradas nos sistemas de informação no período.