Início » Notícias » Saúde » Falta de medicamentos na indústria suspende internações na UTI-Covid em Soledade

Falta de medicamentos na indústria suspende internações na UTI-Covid em Soledade

Medida foi tomada pela direção técnica e clínica do Hospital Frei Clemente, visando a segurança, assistência e boa prática médica
Lucas Oliveira Bicudo / ClicSoledade
Lucas Oliveira Bicudo / ClicSoledade

Para esclarecer melhor a decisão tomada pela direção, administração, direção técnica e clínica do Hospital de Caridade Frei Clemente, em Soledade, na tarde desta quarta-feira, 7/4, foi realizada uma coletiva de imprensa. Na ocasião, foram expostas as razões para suspensão das internações da UTI-Covid, consequência da falta de medicamentos na indústria farmacêutica.

O médico Getúlio Dias de Vasconcelos, diretor técnico da casa de saúde, salienta que não somente aqui, mas todo o Brasil vive uma situação crítica. “Não temos mais no mercado medicamentos para intubação e para manter os pacientes sedados durante o tempo em que estiverem nos respiradores, nossa disponibilidade é escassa”, informa.

 

Ele relata que os estoques de ampolas no Hospital de Caridade Frei Clemente são mínimos. “Devem durar poucos dias, se não recebermos mais. Temos feito lives com o HCor, de São Paulo, que tem nos orientado a utilizar outros medicamentos por via enteral, ou seja, estamos improvisando para que consiga usar menos estes que estão em falta”, assinala.

Dr. Getúlio diz que a solução para este momento é a população ter consciência, independente da bandeira que estiver. “É preciso nos cuidarmos mais, mantermos o distanciamento social, lavar bem as mãos, usar a máscara. Temos visto novas variantes do vírus que tem causado problemas graves, por isto é preciso redobrarmos os cuidados”, completa.

Carlos Alberto Rocha, presidente do HCFC, pontua que a dificuldade não é somente dos hospitais pequenos, mas também daqueles localizados em centros maiores. “Todos estamos na mesma situação, mas não por falta de recursos financeiros para aquisição destes insumos, e sim por sua indisponibilidade no mercado”, reforçou.

A secretária da Saúde, Edinara França, informa que o poder público municipal tem dado suporte no que está ao seu alcance. “Ajudamos naquilo que conseguimos, a exemplo da cedência de dois médicos. Pedimos que a população mantenha os protocolos, principalmente o distanciamento social, que aliado a vacinação, é o que temos de concreto para prevenir o Covid-19”, observa.

Enquanto não houver reposição dos estoques de medicamentos e restabelecidas as condições de atendimentos, a orientação será para  que os órgãos reguladores encaminhem a outras instituições de saúde os pacientes que necessitarem de tratamento na UTI-Covid. A mesma orientação é válida para aqueles que apresentem instabilidade clínica, que possam evoluir para um tratamento intensivo.