Início » Artigos » Crescimento do EAD e tendências de ensino

Crescimento do EAD e tendências de ensino

Por Eline Cavalcanti, da D2L
Igor Sperotto / Divulgação
Igor Sperotto / Divulgação

Por Eline Cavalcanti, da D2L

As tecnologias modernas remodelaram a forma de nos comunicarmos. Com o avanço da Web 2.0, que é um termo usado para designar uma segunda geração de comunidades e serviços oferecidos na internet, por meio de aplicativos baseados em redes sociais e tecnologia da informação, a comunicação online ficou muito mais interativa. Ferramentas que antes eram consideradas de ponta, agora se tornaram comuns e têm novos concorrentes em seus calcanhares.

A ascensão dessas ferramentas trouxe uma das mudanças mais fundamentais da última década: o crescimento da aprendizagem remota. Existem inúmeras definições de aprendizagem remota, a maioria das quais contendo algum tipo de tecnologia. No entanto, a prática é implementada de forma diferente dependendo da instituição ou da plataforma usada. Geralmente, a tecnologia é usada para facilitar a interação de uma ou duas vias em uma plataforma que fornece conteúdo educacional.

Embora o conceito de “ensino a distância” já exista há muito tempo, e experimentado um boom nos anos 90, apenas há pouco tempo com o avanço da tecnologia online é que chegamos a um ponto onde a metodologia está sendo implementada com grande sucesso.

O Mapa do Ensino Superior no Brasil 2020, mostra que as matrículas em cursos a distância registraram um crescimento de 145% entre 2009 e 2018, tendo como principais fatores o preço e a flexibilidade, ou seja, a possibilidade de conciliar os estudos com outras atividades.

Outro dado que impressiona é o fato de 76% dos adultos entre 26 e 40 anos preferirem cursos a distância, segundo a Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED). Estima-se que são mais de 9 milhões de alunos na modalidade digital.

Além disso, à medida que a crise climática global e as pandemias de saúde ameaçam a continuidade da educação, a aprendizagem remota tornou-se ainda mais relevante. Ao utilizar a tecnologia, escolas, universidades e corporações podem minimizar as interrupções na educação e na capacitação em tempos incertos, como a atual crise do COVID-19.

Personalizando experiências de aprendizagem 

A abordagem única para cada aluno tem dominado o aprendizado há muito anos, mas isso precisa mudar. As pessoas têm estilos de aprendizagem variados, que mudam dependendo da natureza do conteúdo que estão tentando absorver. Somado a isso, o uso de dispositivos móveis diariamente colabora para o perfil do novo aluno.

Considerando apenas o Brasil, uma pesquisa da FGV revelou que são 234 milhões de smartphones em uso no Brasil (dados de 2020). Ao adicionar notebooks e tablets, são 342 milhões de dispositivos portáteis em junho de 2020, ou seja, 1,6 dispositivo portátil por habitante.

Em todo o mundo, o desejo de uma maior mobilidade é mais significativo do que nunca, e isso também mudará a maneira como aprendemos. A aprendizagem online remove as restrições de um ambiente educacional típico. A necessidade de estar no campus em uma hora específica do dia, e permanecer lá durante o tempo de inúmeras aulas está se tornando coisa do passado. Isso fornece para as pessoas a flexibilidade de serem capazes de aprender onde quer que estejam, em casa, no campus ou onde elas aprendem melhor, e a qualquer momento que desejarem. O avanço da tecnologia móvel resultou na criação de plataformas de aprendizagem que podem caber na palma da sua mão.

No mundo do treinamento corporativo, as empresas de todo o mundo, sejam startups, PMEs ou MNCs, estão experimentando uma necessidade urgente de melhorar as habilidades de seus profissionais para se manterem à frente da concorrência e lidarem com as circunstâncias voláteis e complexas da pandemia do coronavírus e suas repercussões na economia mundial. À medida que a pandemia forçou as empresas a acelerarem sua transição digital e adotarem novos modelos, as empresas devem expandir rapidamente suas oportunidades de treinamento para manter seus funcionários atualizados. E, como o trabalho em casa e o manuseio de equipes remotas se tornou o novo normal, a maneira como as empresas se engajam e treinam coletivamente sua força de trabalho terá que mudar.

A verdade é que, com o avanço da tecnologia, estamos em uma posição melhor do que nunca para fornecer uma educação holística e de alta qualidade, de maneiras que excedem as fronteiras das salas de aula tradicionais e físicas. Para acompanhar as demandas de um mundo em em constante e rápida mudança, para garantir a continuidade da educação e se preparar para futuras interrupções e adversidades, é importante olhar para a aprendizagem remota como mais do que apenas uma medida alternativa para os dias atuais.